Análise da assimetria manual na performance do Grooved Pegboard Test utilizando um acelerômetro

  • Lidiane Aparecida Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais
  • Tércio Apolinário-Souza Universidade Federal de Minas Gerais
  • Bárbara Gabriela Crispim Santos de Souza Universidade Federal de Minas Gerais
  • Izabella de Souza Sales Universidade Federal de Minas Gerais

Abstract

INTRODUÇÃO:Uma questão relacionada a assimetria é se o aumento da complexidade da tarefa aumenta a assimetria e se as mãos se comportam de forma distinta para diferentes componentes do movimento devido a especialização hemisférica. A utilização do Grooved Pegboard Test com um acelerômetro possibilita análise da resposta total e a identificação de componente temporais do movimento como o tempo de reação (TR) e tempo de movimento (TM).

OBJETIVO:Analisar se o aumento da complexidade da tarefa impacta na assimetria manual no Grooved Pegboard Test utilizando um acelerômetro.

MÉTODO: Dez voluntários realizaram o Grooved Pegboard Testnas condições de maior e menor complexidade da tarefa com ambas as mãos. Foram analisadas as medidas de tempo de reação (TR), tempo de movimento (TM) e tempo de resposta (Tresp).

RESULTADOS:Os resultados mostraram que houve diferenças na assimetria com o aumento da complexidade da tarefa apenas para o TM e que para o Tresp a mão preferida apresentou melhor desempenho em relação à mão não preferida apenas na condição de maior complexidade.

CONCLUSÃO:O aumento da complexidade aumentou parcialmente a assimetria. A análise do TR e TM identificou distintos comportamentos das mãos. Sendo que a mão preferida, utilizando de forma mais eficiente o feedback online, aumentou a assimetria com o aumento da complexidade, mas, o mesmo não ocorreu no TR. A utilização do acelerômetro pode significar um avanço no entendimento das diferenças no desempenho das mãos.

INTRODUÇÃO:Uma questão relacionada a assimetria é se o aumento da complexidade da tarefa aumenta a assimetria e se as mãos se comportam de forma distinta para diferentes componentes do movimento devido a especialização hemisférica. A utilização do Grooved Pegboard Test com um acelerômetro possibilita análise da resposta total e a identificação de componente temporais do movimento como o tempo de reação (TR) e tempo de movimento (TM).

OBJETIVO:Analisar se o aumento da complexidade da tarefa impacta na assimetria manual no Grooved Pegboard Test utilizando um acelerômetro.

MÉTODO: Dez voluntários realizaram o Grooved Pegboard Testnas condições de maior e menor complexidade da tarefa com ambas as mãos. Foram analisadas as medidas de tempo de reação (TR), tempo de movimento (TM) e tempo de resposta (Tresp).

RESULTADOS:Os resultados mostraram que houve diferenças na assimetria com o aumento da complexidade da tarefa apenas para o TM e que para o Tresp a mão preferida apresentou melhor desempenho em relação à mão não preferida apenas na condição de maior complexidade.

CONCLUSÃO:O aumento da complexidade aumentou parcialmente a assimetria. A análise do TR e TM identificou distintos comportamentos das mãos. Sendo que a mão preferida, utilizando de forma mais eficiente o feedback online, aumentou a assimetria com o aumento da complexidade, mas, o mesmo não ocorreu no TR. A utilização do acelerômetro pode significar um avanço no entendimento das diferenças no desempenho das mãos.

References

Teixeira LA, Paroli E. Assimetrias laterais em ações motoras: preferência versus desempenho. Motriz, 2000 jan/jun; 06 (01): 01-08.

Teixeira LA. Controle Motor. 19ª ed. São Paulo: Manole; 2006.

Borod JC, Caron HS, Kolff E. Left-handers and right-handers compared on performance and preference measures of lateral dominance. British Journal of Psychology, 1984; 75: 177-186.

Provins KA, Milner AD, Kerr P. Asymmetry of manual preference and performance. Perceptual and Motor Skills, 1982; 54:179-194.

Woodworth RS. The Accuracy of voluntary movement. Psychological Review, 1899; 03: 1-114.

Fernandes LA, Apolinário-Souza T, Oliveira JRV, Oliveira SR, Lage GM. Aplicação da Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua na melhoria do desempenho manual. Rev. Port. Cien. Desp., 2017; 03: 13-24.

Todor JI, Kyprie PM, Price HL. Lateral asymmetries in arm, wrist and finger movements. Cortex, 1982; 18: 23-515.

Salvador M, Ugrinowitch H, Silva MAR, Miranda DM, Souza TA, Lage GM. Estimulação Transcraniana por corrente continua (ETCC) e assimetrias manuai: o efeito da estimulação na destreza manual. J. Phys. Educ., 2017; 28 (e2837).

Albuquerque M, Diniz L, SILVA M, Paula J, Neves M, Lage GM. Can Eye Fixation During the Grooved Pegboard Test Distinguish Between Planning and Online Correction?. Perceptual and Motor Skills, 2017; 124(2): 380–392.

Rodrigues PC, Vasconcelos O, Barreiros JM. Desenvolvimento da assimetria manual. Rev. Port. Cien. Desp., 2010; 10 (1).

Bryden PJ, ROY EA, Rohr LE, Egilo S. Task demands affect manual asymmetries in pegboard performance. Laterality, 2007; 12 (4): 364 -377.

Vasconcelos O, Rodrigues P. Métodos de avaliação dos comportamentos de assimetria lateral: medidas de preferência e medidas de performance. In Catela D, Barreiros J, editores. Des. Motor da Criança. Lisboa: Edições FMH; 2002. p.105-114.

Vasconcelos O. Asymmetries of manual motor response in relation to age, sex, handedness, and occupational activities. Perceptual and Motor Skills,1993; 77 (2): 691-700.

Vasconcelos MOF. Assessment of manual asymmetry: are proficiency and preference measure indicators of commom underling factor? In Serpa S, Alves J, Ferreira V, Paula Brito A, editors. Proceeding of the 8th World Congress of Sport Psycology. Sport Psycology. Lisboa: Edições FMH; 1993b. p. 504-507.

Fernandes LA, Apolinário-Souza T, Oliveira JRV, Ribeiro SRO, Lage GM. Aplicação da Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua na melhoria do desempenho manual. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 2017; S3A: 13-24.

Carson RG, Chua R, Goodman D, Byblow WD, Elliott D. The preparation of aiming movements. Brain and Cognition, 28(2): Elsevier; 1996. p. 133-154.

Oldfield RC. The assessment and analysis of handedness: The Edinburgh inventory. Neuropsychologia, 1971; 9: 97-113.

Bryden P J, Roy EA. A new method of administering the grooved pegboard test: Performance as a function of handedness and sex. Brain and Cognition, 2005; 58(3): 258-268.

Heilman K,; Van Den Abell T. Right hemisphere dominance for mediating cerebral activation. Neuropsychologia, 17: Elsevier; 1979. p. 315-321.

Rosenbaum DA. Human movement initiation: specification of arm, direction, and extent. J Exp Psychol Gen. 1980;109(4):444-474. doi:10.1037/0096-3445.109.4.444.Marteniuk RG. Information processing in motor skill. New York: Holt, Rinehart & Winston,1976.

Lelis-Torres N, Ugrinowitsch H, Albuquerque MR, Apolinário-Souza T, Lage GM. The level of mental workload related to the index of difficulty of the motor task and handedness. Brazilian J Mot Behav Res. 2017;11:1-10.

Kandel ER, Schwartz JH, Jessell TM, Siegelbaum SA, Hudspeth AJ. Principles of Neural Science. 5th ed. New York: McGraw-Hill Professional; 2012.

Mieschke PE, Elliott D, Helsen WF, Carson RG, Coull JA. Manual asymmetries in the preparation and control of goal-directed movements. Brain Cogn. 001;45(1):129-140. doi:10.1006/brcg.2000.1262.

Todor JI, Doane T. Handedness and hemispheric asymmetry in the control of movements. J Mot Behav. 1978 Dec;10(4):295-300.

Sainburg RL. Convergent models of handedness and brain lateralization. Frontiers in Psychology. 2014;5:1092. doi:10.3389/fpsyg.2014.01092.

Roy EA, Kalbfleisch L.; Elliott D. Kinematic analisys of manual asymmetries in visual aiming movements. Brain and Cognition, 24: Elsevier; 1994, p. 289, 1994

Published
2018-08-13
Section
Research Articles